Um dia na minha vida

Prezado Sr. Excelentíssimo Governador Geraldo Alckmin

Essa carta não é um choramingo de uma pessoa que começou agora a se aventurar na vida. Ando por São Paulo e regiões há algum tempo e só quero te propor um desafio: que o senhor viva um dia da minha vida.

Gostaria que o senhor ganhasse o meu salário uma vez, o que certamente não seria suficiente pra pagar nem um sutiã de sua mulher. Ou então que levasse uma marmita ao Palácio do Governo, sem direito a vale refeição, e me contasse como é não almoçar em restaurantes com preços exorbitantes nos quais o senhor não precisa pagar a conta (pois quem paga sou eu).

Claro que o senhor sairia do Palácio para uma reunião do outro lado da cidade com seu terno italiano e seu sapato engraxado, disso eu não te privarei. Mas vá de transporte público às sete da manhã, talvez chegue a tempo se a reunião estiver marcada para às onze. Talvez (e eu espero muito que isso aconteça) o senhor sinta muita raiva quando, andando com sua roupa toda suada procurando o endereço certo, passar um helicótero sob a sua cabeça, desfrutando uma realidade que pelo menos hoje não é a sua.

Quando o senhor chegar no trabalho, exerça bem as suas funções. E não se esqueça que, caso não chegue na hora, seu patrão (que no caso serei eu), dificilmente entenderá o seu atraso, não importa se o ônibus quebrou, se os ferroviários entraram em greve ou se o senhor, tão desacostumado com esse contato homem-a-homem (não o das eleições, o de verdade), passar mal no metrô apertado. Apertado não, porque segundo o senhor está tudo excelente. Seria uma experiência inesquecível, tenho certeza, se andando de trem o senhor ficasse bem na frente de um ator pornô bem-dotado.. e sentisse as delícias de ser encoxado por alguém que ainda nem passou desodorante.

Falando de transporte, não sinta raiva se a linha do metrô que precise usar estiver em fase de testes há mais de seis meses e o senhor perca 30 minutos numa fila da Ponte Orca. Um dia, segundo adivinha quem?, tudo vai funcionar perfeitamente. Agarre-se nessa esperança e vá com tudo!

Caso consiga chegar a tempo na faculdade (particular, que o senhor pagaria com o seu salário, sobrando cem reais pra viver o resto do mês), não se esqueça de passar no Diretório Central dos Estudantes e guerrear um pouco com os dinossauros burocráticos em prol dos estudantes que dificilmente se lembrarão de você daqui a seis meses. Ironia, não? É bom pra revigorar um pouco os ânimos.

Na hora de ir embora, não que eu te deseje tanto mal assim, mas tomara que chova. Se o pé do senhor ficar molhado, agradeça, afinal, água até as canelas é melhor do que água no umbigo e em breve vários piscinões serão construídos. Gostaria que o senhor sentisse fome também, mas tudo estivesse um caos e justamente nesse dia o senhor só tivesse dez centavos na carteira. Dessa vez o meu dinheiro não poderá financiar nem uma coxinha. E, se o senhor demorar cinco horas a mais pra chegar no Palácio, anime-se, dona Lu estará lhe esperando com o jantar, que será também a marmita de amanhã.

Na verdade, pensando bem, eu desejo que não seja só um dia, sejam dois. Só pra ter o prazer de ver a cara do senhor sabendo que no dia seguinte começa tudo outra vez.

Anúncios

12 pensamentos sobre “Um dia na minha vida

  1. ELMO disse:

    Muito bom ! chupa essa governador

  2. Djulia disse:

    nossaaaaa fantastisca a cartaaa! realmente ele tinha que receber isso !

  3. […] This post was mentioned on Twitter by Mariana Lins, Chloé Pinheiro. Chloé Pinheiro said: in your face, Geraldo Alckmin – https://naoebemassim.wordpress.com/2011/01/28/um-dia-na-minha-vida/ […]

  4. marcela disse:

    Gostei Chloé!

  5. regina pinheiro disse:

    nem sei por onde começo. O tom coloquial, perfeito. A indignação, perfeita e rara. O simples exercicio de se viver uma vida diferente, dois dias que fossem, deveria se o suficiente para que a máquina pública, movida por quem não pega transporte público, andasse (ora, o verbo é este mesmo!). No mais, dá-lhe “faca afiada”, dá-lhe o nosso caro Nelson Rodrigues. Abraço. Regina.

  6. Tati disse:

    Eu entendo os seus atrasos. Quase sempre. 😉

  7. leticia de oliveira pinheiro lopes disse:

    Nune,excelente!Cada vez que necessito fazer o mesmo trajeto que vc e de outras milhares de pessoas me revolto.Será que vivemos mesmo o futuro?Aquele sonhado,justo,equilibrado…Não vejo diferença relevante dos tempos ancestrais.Vamos encaminhar p/ ele?????Bjus

  8. Sônia Lins disse:

    Hey Chloé!

    Este tom ligeiro, real, dinâmico e sarcástico ficou ótimo, mas eu realmente sinto muito que você, minha filha e as filhas e filhos de tantas outras pessoas tenham que vivenciar tão novinhos tantos “sufocos” diariamente. Persevere com energia, pois pessoas conscientes vencem, não tenha dúvidas! Talvez não andem de helicóptero pra lá e pra cá, mas vencem! Beijo

  9. Hugo disse:

    ta escrevendo bem hein….Saudade

  10. celia buarque disse:

    Sua carta é simplesmente tudo o que queremos dizer aos nossos “governantes”. Queria que todos eles vivessem como nós os “pagantes de suas contas exorbitantes cujo luxo beira ao cinismo”. Amei e me diverti muito!

  11. escrevendohorrores disse:

    Vou escrever algo sentimental demais! (novidade)

    Tava lendo umas frases de efeito, essas que a gente vivia copiando no fichário na 5ª série, sabe? E li várias versões da mesma frase que tinha o objetivo de dizer que amizade é quando uma só alma habita dois corpos. E óbviamente eu lembrei de vc.. e digo mais! Atualmente, você está com toda a minha inspiração pra textos! HAHAHAHAH
    Te amo muito Coloé!!!!

    Beijos, saudades!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: